CMN autoriza instituições financeiras a abrirem contas para empresas pela internet

O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou nesta terça-feira (27) que instituições financeiras abram contas para empresas por meio eletrônico. Abrir contas pela internet já era possível para pessoas físicas desde 2016 e para Micro Empreendedores Individuais (MEI) desde janeiro deste ano. Agora, a conta por meio eletrônico será possível para empresas de qualquer porte.

Em nota, o Banco Central informou que a conta aberta por meio eletrônico é exatamente igual a uma conta norma. A diferença é que não é necessário ir à agência para abri-la.

De acordo com a autoridade monetária, as instituições financeiras que permitirem a abertura de contas por meio eletrônico devem adotar procedimentos, salvaguardas e controles que permitam confirmar e garantir a identidade de quem pedir a abertura da conta.

“A gente espera um impacto positivo na medida que facilita a contratação por meio das empresas. Facilita o acesso. Empresas menores poderão, por meio de site e aplicativo, também abrirem contas no sistema financeiro”, disse o chefe do departamento de regulação do sistema financeiro, João André Pereira.

Segundo ele, a medida pode incentivar a concorrência no mercado financeiro, já que instituições que não tem tanta capilaridade poderão concorrer com as que têm muitas agências físicas.

Crédito Rural

O CMN também aprovou nesta terça uma resolução que obrigará as instituições financeiras a divulgarem o Custo Efetivo Total (CET) para as operações de crédito rural. Atualmente, a divulgação do CET já é obrigatória em outras linhas de crédito.

O CET deve incluir todas as despesas da operação, como IOF e juros. A mudança vale a partir do próximo Plano Safra, que começa em julho de 2019.

Segundo o chefe do departamento de regulação do sistema financeiro, João André Pereira, a medida dará mais transparência às operações de crédito rural.

O Banco Central informou ainda que a medida foi necessária por conta do aumento da competição entra as instituições financeiras que passaram a ofertar crédito abaixo do teto fixado pelo CMN para recursos controlados.

“As taxas não são todas as mesmas. A divulgação do Custo Efetivo Total pode ter um efeito benéfico no crédito rural”, enfatizou.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Rolar para o topo